24 julho 2006

Voto Nulo - Esta falsa democracia não interessa

Esta mensagem é uma resposta à querida Magui.

Porque anular o voto? Em todos os níveis?

A opinião divergente eu encaro como uma oportunidade para adensar minhas "certezas", eu as considero como opções de desenvolvimento e maturação intelectual das questões. Não existem opiniões fechadas. Opiniões são coisas vivas, portanto passíveis de revisão, depende do confronto das idéias, das motivações, do sentido e das razões.

Respeito quem discordar das minhas opiniões, desde que bem fundamentado, em princípios construtivos e motivações confessáveis.

Aproveito para lembrar aos amigos leitores que este espaço (o meu soturno blog) se destina a "discussão" de idéias e opiniões. TODAS as opiniões aqui defendidas, em posts ou comentários, podem e devem ser discutidas, por quem quer que seja. As opiniões são postadas exatamente para serem discutidas. Este é o objetivo deste blog. :)

Mas Magui, voltando a sua pergunta, dou minha resposta.
No presente pleito, primeiras eleições depois de tudo o que foi denunciado, comprovado, flagrado, confessado e nem mesmo uma única punição se viu, defendo a anulação do voto em todos os níveis. Nestas eleições, deve ser assim!

A questão fundamental não é este ou aquele candidato. Essa discussão, se esse ou aquele, faz parte do processo eleitoral. E o problema é exatamente este, o processo está errado.

O momento para você, eleitora exigir alterações no processo eleitoral, de modo a melhorar a representabilidade, é agora, e não depois das eleições.

Na minha opinião, se a quantidade de votos nulos não alcançar percentil relevante nestas eleições, o próximo mandato será perdido, uma desgraça para este país, não importando se é senador, deputado estadual, deputado federal ou presidente da república, no momento isto não vem ao caso. O problema não é só o Lula. O problema é o Lula, quem o apoia e a circunstância. Não adianta nada retirar o Lula e quem o apoia e deixar a circunstância, que os levou ao poder e os manteve lá a despeito de tudo o que se viu.

Cabe ressaltar que eu tenho um candidato muito bom para deputado estadual para o Rio de Janeiro, homem sério que conheço a muitos anos.
Entretanto nesta época a questão não são pessoas, são princípios, que foram abndonados e que precisamos lembrar que devem ser obedecidos. Caso contrário viveremos num absoluto inferno incontrolável, e o cartão de visita é o que vemos: PCC, MSLT, Stédile, Marcola, MST.
Share |

28 Comentários:

Blogger Tita Griebeler said...

Ah, sou da mesma linha de pensamento, se muda nada se o protesto só for verbal...adorei teu blog.

24 julho, 2006 08:42  
Blogger Serjão said...

Postagem de cachorro grande a gente responde com um comentário adequado. Vou botar aqui e lá;

Facil entender o empenho pelo voto útil. Certamente e há neste caso algum comprometimento político-partidário, sempre.
Nem sempre amigo. Eu defendo o voto útil, NESTE CASO, e não tenho este comprometimento. Na boa, vc me conhece, vc acha que eu tenho este comprometimento? Creio ter sido um exagero não só comigo mas com muita gente boa por aí.

Vota útil quem se nivela por baixo.
Não. Voto útil pq não considero nada mais baixo do que o PT.

Responda a uma pergunta simples:
Se criarem um concurso e lhe derem como opção comer uma prato com meleca ou lamber um prato com cocô, sendo que na urna não há tecla de voto nulo, o que você leitor faria? Recusaria tanto o parato A, quanto o prato B, e provavelmente faria questão de recusar o próprio concurso, correto?
Isto á um absurdo. Isto é, digamos, PLÀGIO que é uma acusação que está na moda (rsrs). Já usei esta analogia antes (http://serjaocomentadoceu.blogspot.com/2006/01/nadando-contra-correnteza.html) só que não tão indigesta. (mais rs). Não vou usar a sua e vou usar a minha comparação. Tem gente que gosta de comer ou jiló ou chuchu. E não os considera excrementais como vc sugere.

O voto nulo não tem como objetivo anular a eleição, exatamente porque os canalhas da classe política não deixam existir esta opção para o eleitor repudiar os políticos de baixa categoria, impostos aos eleitores pelas cúpulas partidárias viciadas.
Concordo e tentar driblar esta imposição precisamos de uma pinça.

O voto nulo tem o objetivo de anular o "processo eleitoral inteiro" e demonstrar claramente o repúdio do eleitor pelo comportamento da classe política inteira, e pela leniência e concluio diante de crimes gravíssimos contra a nação brasileira. Até mesmo crimes de lesa-pátria impunes.
Não acho apenas isso. Serve para repudiar principalmente àquelas opções como vc citou escatologicamente. (rs). Na minha opinião Allcckim não está no Rol de um Garotinho e de um Lula. Tem lá seus grandes defeitos. Mas não está.

Cabe ressaltar, que o voto nulo é um direito e uma opção de quem nao enxerga nenhum candidato apto. O repúdio aos candidatos oferecidos deveria ser considerado um voto válido! Nos tempos atuais, onde campeia a corrupção, a desfaçatez, o deboche da classe política deveria haver uma opção. O TSE deveria permitir esta opção ao eleitor, no mínimo.
Concordo e Concordo. O usaria se tivesse um embate tipo Lula e garotinho. Alías um embate deste é coisa não só para votar nulo mas para bater nos mesários e quebrar a urna. Ainda bem que não acontecerá. Fui o primeiro a defender a opção do voto nulo. E tomei porrada de tudo quanto é lado. Falando nisso, cadê o FDP do Blog que me esculachou? Por que não vem agora fazer a sua cabeça e do Sombra?

Engraçado observar como os militantes petistas e militantes alkmistas fazem guerra contra o voto nulo. Fazem guerra contra o voto nulo, porque sabem que seus candidatos são o mesmo engano, são a mesma nulidade. Um afirma que o voto nulo irá beneficiar o outro candidato, os dois mentem! Não interessa quem o voto nulo irá beneficiar. O que interessa é negar o atual processo eleitoral.
Se esta negação fosse realmente viável seria uma opção. Mas o meu pragmatismo faz com que eu escolha o menos pior. E o mesmo direito que vc tem de anular o voto as pessoas tem de escolher o menos ruim.

Farinha do mesmo saco, o PSDB e o PT são a mesma toxina imoral da política brasileira. Graças a esses dois partidos a qualidade dos políticos vem piorando sistematicamente, nos últimos 12 anos. O que já era ruim ficando pior. ninguém tolera mais.
Acho que os dois até se parecem, mas farinha do mesmo saco é um exagero. Vc tem notícia de militantes do PSDB envolvidos com assassinatos de prefeitos?

Caro leitor, se lhe é dada como única opção votar em políticos nulos melhor votar nulo e declare seu voto já!
Já disse. È um direito que eu respeito e tb advogo em situações limite.

Não vote nulo discretamente. Não vote nulo por falta de opção.
Você deve votar nulo para afirmar a sua negação diante desta farsa construída pela classe política com a intenção de não apenas se locupletar com o dinheiro público, mas pretendem ainda humilhar você, rotulando o eleitor como ingênuo, que eles pensam que você é.
É?
Negue o processo inteiro. Afirme com toda a força da sua voz a nulidade do processo eleitoral, que mantém no poder essas vergonhas nacionais.
Já disse. Se isso fosse uma opção viável eu poderia pensar. Mas não é. Eu vou pegar uma pinça e ir em frente. E fique ciente que esta postura de recomendar o voto nulo será adotada pela HH no segundo turno. Talvez os motivos sejam outros. Mas estar no mesmo barco de uma comuna idiota não me faria bem. E a vocês?

24 julho, 2006 10:05  
Blogger Alexandre, The Great said...

Camarada.

Infelizmente, com a atual legislação eleitoral, vc estará quixotescamente combatendo moinhos de vento.
Teoricamente correto, mas tecnicamente ineficaz.

Abçs,

24 julho, 2006 10:09  
Anonymous soldadonofront said...

NÃO VOTE EM LULA.

ASSIM O FMI VOLTA, O PAIS PARA NOVAMENTE, E OS AMIGOS DA FIESP AGRADECEM NÃO TEREM CONCORRÊNCIA.

24 julho, 2006 15:49  
Blogger Tiago Albineli Motta said...

É bom ressaltar que voto nul não anula eleição. Assim, só é válido utilizá-lo como recurso de abstenção de voto. Caso não tenha um candidato em quem votar. Mesmo assim, é válido abstersse de anular o voto caso possua um candidato que não queira que se eleja de jeito algum.

24 julho, 2006 16:49  
Anonymous Lara said...

Camarada Arcanjo

Já coloquei essas perguntas lá no Sombra,e torno a repeti-las aqui.

" o primeiro passo é dado (anula-se o voto), mostra-se assim toda a indignação. Ótimo!

Qual seria o segundo passo? Novas eleições?
Trocam-se as figurinhas, mas a meleca é a mesma.
Ficaríamos anulando votos e nos indignando eternamente?

Enquanto essa batalha não terminasse QUEM ASSUMIRIA O PODER?"

Gostaria imensamente de votar nulo se não fosse o perigo de reeleger o Lula.

Concordo e assino embaixo de tudo o que vocês estão dizendo e defendendo, mas não estamos num momento muito perigoso para darmos demonstrações de indignação?

Não vamos mudar absolutamente nada. Não temos um povo que saiba, exatamente o que está acontecendo, nem sabe o que deve mudar.

Se o PT fez tudo o que fez, vamos arriscar mais 4 anos que poderão ser 8 12 ou....Elles estão cheios de planos.

Tenho medo de ser responsável(através do meu voto)por ajudar a se concretizar um plano diabólico, bolado por mentes psicopatas.

Outra coisa, (tenha paciência comigo), mas por que não deixamos para anular no segundo turno? Só para que elle não ganhe de cara.
Vota-se em qualquer um, só para dividir os votos e elle não ficar com a maioria.

Não sei como isso funcionaria, mas iria acontecer um segundo turno, elle + qualquer outro.

Obs.
Segundo um juiz me informou, como isso nunca aconteceu antes no Brasil "não se sabe como julgar". E aí é que mora o perigo, porque vai depender da interpretação de um juiz. A lei pode ser interpretada de várias maneiras e não está nada claro.
Mais uma vez SOCORRO!

24 julho, 2006 21:25  
Blogger S0MBR4 said...

Rapaz! Fiquei intrigado!!! Um bom candidato?!

Conta quem é... e vamos ver se ele passa pela varredura!

24 julho, 2006 21:44  
Anonymous Blogue da Magui said...

Exelente texto. Eu perguntei porque , na defesa de sua tese, nao havia ficado claro.Eu quero estudar todas as propostas e ler todas as teses. Nos comentarios daqui eu li otimos argumentos. Eu nao decidi ainda qual a estrategia politica irei aderir.

25 julho, 2006 11:46  
Blogger Moita said...

Camarada Arcanjo

A lei diz: Os votos nulos e em branco serão descontados do total de votantes e será eleito o candidato que obtiver 50% mais 1 (um) voto.

Logo aritméticamente o voto nulo ou em braco não diz, não influencia, não altera.

Apenas os políticos de curral ( votos de cabresto) se beneficiam porque podem serem eleitos com uma votação mínima.

Tipo, No Sergipe, ser eleito com 18 Mil votos a deputado federal, e dependendo da legenda, com 8 mil.

Foi o que aconteceu quando o "Bode Chêroso" recebeu aquela espetucular votação em Jaboatão Pe, Teve vereador sendo eleito com 93 votos.

Devemos todos desencorajar o voto nulo. É uma temeridade maior.

Abraços.

25 julho, 2006 12:26  
Blogger Ozéas said...

Admiro seus posts e sua coerência, mas me permito divergir.
O voto nulo é mais ou menos a teoria do quanto mais assaltos melhor, porque diante de da vitória dos fora da lei, mais chances temos de modificações para acabar com a violência.
Não temos muitas saídas Camarada, é hora do enfrentamento. Se não temos as armas apropriadas, temos que reagir com porretes mesmo.
Abç

25 julho, 2006 17:04  
Blogger Kozel® said...

Caro Arcanjo,vc sabe que eu sou pró voto nulo também,mas ,minha sobrevivência depende da deposição do maldito calango que está a presidir esta bosta que outrora foi o Brasil.
Respeito quem vota nulo, como uma forma de boicote à classe mais desgraçada que, nos rouba(com o falso rótulo de imposto) a cada café no boteco da esquina,não para melhorar o país,mas para se perpetrar no poder.
Braço!

25 julho, 2006 18:29  
Anonymous Anônimo said...

ESSE BLOG É VALIOSO. E O FATO-FOTO LULLA&JOBIM REGISTRA A MAIS TRISTE HISTÓRIA DO JUDICIÁRIO E EXECUTIVO BRASILEIROS, SE É QUE PODEM ASSIM SER DEFINIDOS !

25 julho, 2006 23:08  
Anonymous vera said...

Olá Camarada: sou da mesma opinião que do Ozéas. Voto nulo não; teria que atingir 100% para funcionar... é impossível! :-) Bjs

25 julho, 2006 23:54  
Anonymous Lara said...

Posso dizer que estou, assim como todos os que não se afinam com esse "modelito", cheia, explodindo de tanta indignação.

Toda a vez que se coloca o fato de que não se vai a lugar nenhum com o voto nulo, os defensore tiram o time de campo e fazem cara de paisagem. Não têm argumentos que sustentem essa idéia "original".

Quase infantil essa postura. "SE não posso brincar como eu quero, não vou brincar com ninguém e ainda vou sacanear".

Sim sacanear. Egoisticamente é o mesmo que dizer. Tô fora, não contem comigo e que se explodam!
É isso?

Numa guerra seriam chamados de covardes.

26 julho, 2006 10:58  
Blogger Keikas said...

adorei!!!
sabe o grande problema da lei eleitoral é que eu não tenho direito de negar isto tudo que vejo.
Antigamente o voto branco beneficiava um lado e o nulo era do analfabeto, hoje isso tudo foi mudado.Eu não me conformo em não ter o direito de negar os candidatos e dizem que este pais é democrático, será?

26 julho, 2006 11:37  
Anonymous patrickgleber said...

Publiquei artigo hoje no meu blog, veja um trecho:

“Eu acredito em pesquisas pré-eleitorais. Sei que muita gente não dá crédito para elas, mas eu sim! E sobre os números ontem divulgados pela Rede Globo juntamente com o Ibope só confirmam o que os outros institutos também dizem: Lula vence em primeiro turno. Veja os números. Apesar de que Lula já começa a enxergar Alckmin pelo retrovisor. Uma coisa é enxergar outra é passar.”

Minha análise sobre a última pesquisa no blog

http://blogdopatrick.blogspot.com/

26 julho, 2006 13:00  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Lara,

Realmente estamos numa guerra entre o que é tolerável e o que é intolerável. O governo e o proprio Lula é intolerável, concorda? Me diga porque?

Vamos, diga para todos nós porque você acha que o governo Lula é intolerável.

Depois, se você puder dizer para todos nós a diferença entre o que REALMENTE pretende fazer qualquer um dos candidatos para acabar com tudo de intolerável que o governo Lula fez e continua a fazer.

Não ví até agora nada de concreto feito pela oposição, por qualquer um dos candidatos, no sentido de acabar com as mamatas, os abusos de poder, acabar com os encobrimentos de crimes, punição para os crimes denunciados.

Em síntese, e para deixar muito claro:
1. Eu ainda não ouvi o Chuchu censurar a sua mulher por explorar o alfaiate, por mera futilidade.

Diga para nós, Lara. Você paga pela roupa que você veste?

Se paga pela sua roupa, porque você pretende dar poder a alguém que o mulher dele chega para o alfaiate e diz: se você não me der roupinhas vou dizer que as suas roupinhas são muito ruins para as minhas amiguinhas.

Não consigo imaginar porque um alfaiate daria tantas roupas para alguém sem um contrato de publicidade.

2. Eu ainda não ouvi o Chuchu dizer que irá contra frontalmente os movimentos de criminosos (MLST, CUT, MST, PCC, Via Campesina etc).

3. Não ouví o Chuchu dizer nada sobre a polícia de São Paulo efetivamente investigar o caso Celso Daniel. Nao se mata um prefeito, ,do modo como foi, e se diz, desde o primeiro momento, que foi um crime comum, porque nunca é. Depois desse crime comum mataram mais oito. Sabe porque? Porque o crime não foi solucionado, foi acobertado!

4. Não ví nenhuma atitude prática e efetiva, de qualquer um dos candidatos, por exemplo, contra a impunidade, durante os seus mandatos.

Os outros candidatos me dão nojo, absolutamente.

Ah! Eu, votando nulo, garanto a você que eu não ficarei com cara de paisagem, quando o Chuchu trilhar o mesmo caminho intolerável do que o Lula vem trilhando. Você não pode garantir que isso não irá acontecer! Ele não se comprometeu com mudanças profundas, quando deveria ter feito no tempo certo.

Isto porque, os meios e os métodos estão preservados para o próximo governo. Assim mesmo, um guardando o rabo comprido do outro, não nos levará a lugar algum.

Portanto, o voto nulo é a melhor opção nestas eleições. Na próxima, vamos ver as atitudes no dia-a-dia.

26 julho, 2006 23:02  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Lara, ainda tem mais uma coisa á esclarecer.

Ninguém aqui está considerando estas eleições como brincadeira. Os únicos que consideram assim são os candidatos pouco sérios e a militância automática.

Outra coisa, covardes são os que não tem coragem de expor suas opiniões à discussão e pretendem que um determinado candidato vença para aproveitar uma boquinha, e para isso não confessam suas reais intenções, tentando enganar os demais, e sabendo que o candidato não vale grande coisa.

Isso é covardia

26 julho, 2006 23:12  
Anonymous Lara said...

Qual é a chance de anular a eleiçaõ?
Baseado em que? Na lei????

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Está tudo bem! Supondo que consigam. A idéia é original, mas, e na seqüência, qual é o plano? Deve ter sido pensada!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Também não acho que o tal chuchu seja o melhor.Está longe disso.

Aliás, que sinuca.

Me dão vários copos para beber. Em um, tenho certeza que tem veneno, nos outros "pode ser".
Se eu estiver a fim de tentar sobreviver vou tomar qualquer um menos aquele que tenho certeza que vou me ferrar.

Entre uma "possibilidade" e uma CERTEZA de erro, é preferível arriscar.
Seja lá quem for que conseguir desbancá-lo, mesmo que tenha um passado duvidoso é preferível ao que temos.
Não estou falando só em corrupção. Falo dos planos e projetos do Zeca Diabo.

27 julho, 2006 10:34  
Blogger Alexandre, The Great said...

essa dos copos foi legal... confesso que gostei.

27 julho, 2006 13:57  
Blogger S0MBR4 said...

Quem falou em anular a eleição?! Essas respostas parecem mais pré-fabricadas que um debate sério.

Como alguém que vota num desses candidatos exige um plano?! Vc acha que eles tem plano de governo?!rs

Covardia e passividade é beber o copo... quem se respeita quebra a porra toda!

27 julho, 2006 17:19  
Blogger Camarada Arcanjo said...

É o Alexandre tem razão essa figura dos copos da Lara ficou elegante. Bem melhor do que os pratos que sugerí.

Acontece que meu espírito está mais exigente e eu estou aborrecido com a qualidade geral da política e poor conseqüência, a qualidade geral da saúde da educação e da segurança.

Então eu faria exatamente a mesma coisa que o S0mbr4. Eu quebraria os copos todos e ainda correria atrás do idiota que imaginou que sairia impune, em me fazer tal oferta. O desgraçado que me ofertar um copo de cicuta eu dou o troco.

Chega, o Socrates "meu mestre", morreu assim, e eu não caio nesta esparrela.

Por falar nisso, minha filha foi assaltada ontem de tarde perdeu o celular e ainda vai continuar pagando o aparelho. Enquanto isso o engraçado do Garotinho, dono dessa polícia, diz que está tudo bem. Toda a classe política no discurso reclama, mas age como se estivesse tudo bem.

Em breve, quando cada cidadão for o responsável pela sua própria segurança a conversa será outra. Estamos quase lá.

Votem útil, e verão para onde nos levarão.
.

27 julho, 2006 19:19  
Anonymous Lara said...

Gentem!
Vocês não endenteram ainda?
Eu quero ser convencida!
Eu também quero anular o voto por que acho que NÃO TEMOS NEHUM CANDIDATO QUE PRESTE REALMENTE.

Também quero tocar fogo no circo, mas me respondam pelamordedeus, como é que fica, o que é que vai mudar? Não vejo nada de milagroso nessa atitude.

A única coisa que vejo, é uma demonstração sem nenhum efeito, e aquela jubarte dançando e tirando sarro da nossa cara.

Prometo não encher mais os "cotovelos" de vocês.

27 julho, 2006 20:40  
Blogger Alexandre, The Great said...

Camarada.

Política, religião e futebol cada um tem a sua opinião.
São assuntos onde não existirá consenso, prevalecendo o axioma: "voce está certo, mas eu não estou errado".

Seu blog é estimulante justamente pelo contraditório e, ao contrário do que afirma, não tem nada de "soturno".

Abs,

27 julho, 2006 21:55  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Alexandre,

Aqui, eu espero que prevaleça o contraditório consistente. Quando as opiniões divergem com consistência é um êxtase, confesse.

Tem quem não goste, eu gosto muito de uma boa troca de opiniões, por vezes quente e "rispidas", por outras afetivas, mesmo que divergentes. rsrsrs

Gosto disso, vou fazer o quê?
rsrsrs

27 julho, 2006 22:32  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Lara,

Primeiro não deixe de "encher nossos cotovelos". rsrs

Segundo:
Guarde isso em sua mente: O voto nulo não causará milagre nenhum, a rigor não fará a menor diferença. O voto útil também não fará diferença alguma.

O que difere NESTAS ELEIÇÕES, é que o voto nulo sinalizará que uma parte dos eleitores não apoiam essa enganação generalizada e descarada, e exige mudanças. Se muitos ou poucos, as urnas dirão.

Você pode votar nulo no primeiro turno e votar no seu candidato no segundo turno. Ou pode votar nulo nos dois turnos. Ou ainda votar no seu candidato nos dois turnos.

Importante!
Não pretendo conseguir convencer você nem qualquer outro que não se sinta enganado, humilhado, e ridicularizado como eu.

Enquanto você achar que você merece este nível de política que andam fazendo e ainda afirmam que você é responsável por todas as atitudes que os políticos tomam, porque sem o seu voto eles não estariam lá, vá em fente.

Euzinho não serei páreo para mudar opiniao de quem está satisfeito com estes políticos.

Agora, se depois das eleições. Esses que defendem o voto útil, aparecerem por aqui reclamando de qualquer político. Vou xingar muito, com todo direito. Eu tenho uma paciência especial com "fariseus", mas não é eterna. Até porque, na minha opinião, o voto útil reafirma todo o status quo.

Quem vota útil, confirma a leniência do STF com o crime contra o patrimônio público.

Quem vota útil, confirma todo a leniência do CIAF com os saques em dinheiro do esquema Marcos Velério.

Quem vota útil, confirma a expatriação de dinheiro público para paraísos fiscais (vide Duda Mendonça) por partidos políticos.

Quem vota útil, me perdoe e procure entender Lara, confirma a permissividade dos políticos com os desvios de conduta sociais e morais, cerne e origem de todos os problemas sociais que elegem políticos desde sempre.

Mas entenda, seria muita pretenção de minha parte imaginar que conseguiria convencer alguém das minahs opiniões. Eu, não.

Apenas exponho e justifico minhas opiniões. O curioso é que nunca ouvi uma argumentação eficaz sobre o voto útil, a não ser que o "outro adversário vai ganhar se você não votar neste ou naquele enganador". Sempre a mesma justificativa simples e infantil.

Entenda que o voto útil apenas procrastina uma reavaliação séria do todo o processo político.

Mas muita gente não está interessada nisso. Certo?

28 julho, 2006 00:03  
Anonymous Lara said...

Desculpem a má comparação, mas como sou da área da saúde e não da política...

Votar nulo, seria uma resposta um tanto radical. É como, por exemplo um paciente(país) num estado grave, que precisa de cuidados intensivos, ser sacrificado(eutanásia) quando deveria pelo menos tentar uma CTI.

Outra comparação, talvez infeliz também, fazer o que...Não tomando uma atitude rápida de combate a uma infecção, corremos o risco de uma septicemia como Tancredo fez, quando desprezou a sua.
Me parece arriscado, numa emergência, não tomar uma atitute, subestimando uma infecção que tem tudo para ser fatal.

Fora isso, concordo com todos vocês, mas acho, posso estar enganada, que estamos num momento muito perigoso.
Abçs.

28 julho, 2006 11:59  
Blogger Passarim said...

Arcanjo,
Por falar em princípios: A importância dos princípios

O princípio é a base, o ponto de partida, a regra para uma cadeia de eventos, pensamentos ou intenções formadas anteriormente e que difere o sujeito político. Em relação a matérias relacionadas com a sociedade brasileira, parece-me que o termo princípio assume um papel retórico diferente. Ele é a moeda de troca da cidadania democrática, um regime que promove a escolha. A noção de um homem com princípios implica que, em dada altura da sua vida, ele tomou decisões, fez escolhas... em suma, formou-se como indivíduo público e transmitiu a todos seus princípios. Não nos passa pela cabeça afirmar que um rapaz de 13 anos tem princípios porque o termo princípio, definido desta forma, implica uma certa dose de responsabilidade, independência - moral, intelectual e financeira - que lhe permite fazer escolhas. Escolhas adultas, não infantilizadas por um idealismo desmesurado.
Parece-me que se precisasse caracterizar os brasileiros como povo, os caracterizaria como um povo obliterado por um idealismo desmesurado, utopicamente perfeito... e logo aí, desumano. É dessa permanente idealização que resulta, por conseqüência óbvia, a mossa péssima escolha.
Um princípio, tal como a palavra indica, é um começo. Um começo de algo que se procuraria ideal mas que nunca o será, porque foi prometido e não foi cumprido. É exatamente na compreensão da inevitabilidade do erro e na aceitação não-conformada - mas calma - da imperfeição que encontro o que poderia chamar de comportamento desvirtuado.
Os brasileiros são um povo eminentemente infantil, altura da vida - às vezes, permanente - onde se idealiza e imagina. É numa atitude infantil, a da conformidade inerte face à impossibilidade de atingir o ideal, que assenta a lógica do "ou é perfeito ou não vale pena".
A encruzilhada em que se encontra o nosso país poder-se-ia apelidar de passagem à maioridade democrática, um estado de alma em que o país receia não conseguir lidar com o futuro. Trata-se quase de uma primeira - e amedrontada - contemplação do real.
Neste governo não há uma clara preocupação com princípios, coisa que anda meio perdida na memória fraca da sociedade brasileira. Estes princípios, como a existência de uma avaliação dos professores, são absolutamente fundamentais. Mas o problema no Brasil, problema esse que não nos permite ser reformistas e evoluirmos, é que em tudo se procura um idealismo utópico, desumano, ou seja, a perfeição.
Voltando ao exemplo da avaliação qualitativa dos professores, ela tem de existir. Que não há sistemas de avaliação perfeitos, não há. Mas algo deve ser feito, algo deve ser evoluído. A democracia é um projeto inacabado e o caminho para sua correta implementação depende da escolha de homens de princípios suficientemente testados na vida pública.
Os princípios são um campo em que eu não perdôo aos políticos, porque um princípio não deve, nem pode, ser negociável. E assim chegamos a uma das mais importantes funções do estado: a de impor princípios aos cidadãos através da educação e da cultura, permitindo a responsabilização pelas escolhas. Quanto aos governantes: serem exemplos desse ato de cidadania é obrigação. Abs. Jarbas do Aparte

14 agosto, 2006 00:55  

Postar um comentário

<< Home