14 maio 2006

Associações (1)

Porque é a mesma coisa? Porque é a mesma coisa!
Jereissati + FHC = PSDB >> Alkimim (Serra, NÃO!!)
Alkimim >> PSDB >> Jereissati >> Telemar >> Lula >> PT.
Jereissati >> PSDB >> Alkimim = Lula >> PT.
Jereissati & Lula.
PSDB = PT.
PT&PSDB = Partido Único, necessário a ditadura da esquerda vagabunda.
Crimes praticados pelo PT&PSDB.

Explica-se:
Telemar >> Lulinha >> Lula.
O PSDB escolheu um palhaço (o Chuchu) para disputar com o LULA e manter a sociedade entre o PT e o PSDB. Tentando nos fazer de palhaços.

Eu nem mesmo citarei sobre a canalha petista, cerne da esquerda vagabunda.
Os verdadeiros palhaços são os militantes idiotas do PSDB, especialmente os "anti-lulas" que agora estão realmente com a cara de palhaço.

Agora a democracia não é importante. Importante é a punição dos criminosos. Punição de todos os criminosos que usaram o poder que lhes foi conferido pelo voto ou dinheiro público para roubar. Ou o judiciário sério, que ainda resta, toma a frente nesta questão. Ou este judiciário será dispensado junto com os criminosos adiante.
Share |

20 Comentários:

Anonymous Lucas said...

BRASIL


A VITÓRIA DO CAOS !

14 maio, 2006 12:42  
Blogger Alexandre, The Great said...

Camarada, vc está enigmático.
Não sou tucano, nem pefelê e muito menos PMerdaDeBosta, mas dá pra "desenhar" o que vc quis demonstrar na "equação"?

14 maio, 2006 12:44  
Blogger Peninha said...

Arcanjo amigo
Você confessou ao Serjão que teve um gordini?
Lembra que ele era apelidado de Belo Antonio?
Por fora bela viola, por dentro pão bolorento.
Pois o país chegou aqui corrupto ate o último fio de cabelo por que a nossa justiça sempre foi o Belo Antonio.
Enquanto nesse país a justiça fizer política não vejo futuro de prosperidade e legalidade.

14 maio, 2006 21:47  
Blogger Star said...

Camarada, não dá mais para esperar, impedimento já!

A polícia civil de São Paulo tem 1 hora de gravações entre celulares do comando do PCC e o comando do MST (Rainha e o “Alemão”) que comprovam que a ordem para assassinar os policiais em São Paulo, partiu do MST, que tem fornecido treinamento e organização ao PCC em troca de serviços dos criminosos e seus parentes ao MST.

Visite o site:
http://www.polibiobraga.com.br/?PAG=noticias_anteriores_detalhe.asp?ID=6705

E este do Estadão da semana passada:
http://www.estado.com.br/editorias/2006/05/14/cid118801.xml

e mais esse:
http://www.mp.sc.gov.br/canal_mpsc/clipping/revistas/veja_050510.htm

Extraidos do Blog do Nemerson Lavoura: http://nemersonlavoura.blogspot.com/

Os canalhas do PT sempre que surge alguma denúncia contra Lula promovem alguma notícia para desviar o foco.

Impedimento já, chega!

15 maio, 2006 01:07  
Anonymous BRAZIL DECENTE LULA PRESIDENTE said...

Ao companheiro LULA: Parabéns meu querido (nosso) Presidente! Está faltando um sorriso aos brasileiros pra coroar sua grande capacidade e habilidade política. Sorria sem medo de ser feliz.
Venha conosco! temos muito a fazer. Vamos exercitar o voto, a democracia, a felicidade. Confiamos em seu governo, entendemos as dificuldades. Erros e acertos fazem parte da história (e desenvolvimento) da humanidade. Sabemos que um outro mundo é possível, taí o Presidente Lula!
A democracia é um bem inestimável, vamos exercitá-la com dignidade, um belo sorriso, com paixão e competência.
Venham todos e todas! temos muito a fazer. Vamos reeleger Lula no 1º turno.
LULA 2006, SEM MEDO DE CONTINUAR FELIZ!

15 maio, 2006 07:10  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Vou responder aos amigos "detrás para a frente".

Brasildecentelulapresidente,
A democracia não é importante. Ela não existe, mais, apenas o caos. O Lula foi incompetente, absolutamente incompetente.
Agorada pateta seu projeto político não existe mais, só o resíduo.
E para quem só sabe copiar e colar, eu respondendo estou conferindo uma importancia que você não está merecendo.
Mas eu vou deixar o seu comentário aqui par que todos vejam a sua simplicidade quando copia e cola.

15 maio, 2006 11:04  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Star,

Em post anteriores eu alertei claramente, que existe no Brasil a guerrilha urbana e a guerrilha rural, ativa, vívivda e combatendo. Por enquanto apenas um lado combate. Não existe reação. Não podemos considerar a ação da polícia como uma reação efetiva. Podemos considerar apenas como um espasmo.

A interligação entre as quadrilhas urbanas e as quadrilhas rurais é mais que evidente, a longo tempo. Voce pode reparar que as grandes rebeliões acontecem principalmente antes das eleições. Isto é uma característica de guerra de gurrilha para desestabilizar as opiniões e tentar conseguir alguns cadáveres que eles possam chamar de inocentes, antes das eleições.

Contudo, voto nulo.

15 maio, 2006 11:12  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Peninha,
O (Gordini) "Belo Antonio" também conhecido como "desmancha sem bater", em homenagem a propaganda de sucesso do leite Glória. Está lembrado disso? Parece a campanha do Alkimim. rsrs

Quanto a justiça, você está corretíssimo. Quando a Justiça não é politicamente isenta, não existe justiça e o Estado corroído completamente pela corrupção se torna fraco. A saída é a criação de máfias, quadrilhas, fraternidades ocultas etc Ou seja, expande-se o poder paraleleo ao Estado.

15 maio, 2006 11:19  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Alexandre,

Está claro e demonstrado, que a parcela do PSDB que escolheu o Alkimim, é o "campo majoritário" do PSDB. Essa parcela está comprometida com o PT, tanto nos objetivos políticos, quanto nos métodos de governo (sic) e no acobertamento de crimes cometidos.

A Telemar e o Lulinha formam apenas um "by-pass" dentre o canais de parceria comercial e política. Na síntese, os dois partidos formam o mesmo bloco, desde os fundamentos ideológicos até as práticas com a imprensa e com o congresso nacional (com letras minúsculas, mesmo).

Quanto ao PMerdaDeBosta, este partido não existe. Sob esta sigla se esconde a escória fisiológica da política brasileira. Os safados que não tem projeto de governo, não possuem um projeto de Brasil, não possuem ideologia. Uma aridez absoluta de idéias, apenas propinas.

O PMDB é a fisiologia do trato gastro-intestinal, que vai da boca ao ânus, passando pela cloaca, da política nacional. Não merece nenhum comentário mais longo do que este.

15 maio, 2006 12:31  
Blogger Kafé Roceiro said...

Êpa,
Tô com a Star!
Acho que essa guerra maluca do fim-de-semana tem a ver com desvio de foco da bandalheira do Pateta!
Por que em São Paulo!
Isso me cheira também sopa de chuchu!
Onde vamos parar, amigo Arcanjo?
abraços,
Kafé.

15 maio, 2006 15:09  
Blogger Alexandre, The Great said...

Camarada, agradeço as esclarecedoras explicações.

Por oportuno convido-o a comentar meu último post sobre o nosso "sistema de segurança pública".

Abraços,

15 maio, 2006 15:28  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Kafé,

É certo isso! Com toda a certeza existe uma sincronia de interesses PCC, MST, esquerda vagabunda, "homenagem ao Alkmim". rsrs

O Alkmim é, no momento, o adversário mais proeminente.

15 maio, 2006 20:09  
Blogger Peninha said...

Duro mesmo é ter que votar em Pamonha de Chuchu para impedir o psicopata amoral de continuar em Brasília.

15 maio, 2006 20:31  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Peninha, isso eu não faço!

Deixe que eu explique para o amigo o que eu entendo com esse negócio de votar no menos pior.

Quando você vota no menos pior você se nivela pelo menos pior. A clase política repete sistematicamente que os políticos são o reflexo do povo. Isso acontece exatamente porque você no final vota no menos pior.

A hora que você votar no candidato que você acreditar, realmente que este sim é BOM!, aí então voc]ê estará fazendo política. Enquanto você votar no menos pior você estará apóiando os criminosos de matizes diferentes porém criminosos, sempre criminosos.

E você é o responsável por isso.

15 maio, 2006 22:11  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Antes que ue me esqueça:

EU VOTO NULO, ATÉ QUE APAREÇA UM CANDIDATO CONFIÁVEL E BOM!

EU NÃO VOTO EM MERDA MENOS FEDIDA!
FUI CLARO?

15 maio, 2006 22:13  
Anonymous Anônimo said...

Ministério Público do Estado de Santa Catarina
.: Segunda-feira, 15.05.2006 portal mpsc webmail
intranet





Clipping 10 de maio de 2005
Revista Veja
<< voltar

Criminal / Polícia, pág. 106 e 107

Ligações perigosas
Escuta mostra que o MST orientou a facção criminosa PCC a organizar uma manifestação

Carlos Rydlewski e Fábio Portela

Era o que faltava: uma ligação entre o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e o Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa que atua nos cárceres paulistas. Não se sabe ainda se é rasa ou profunda, mas, ao que tudo indica, ela existe. Um relatório preparado pelo juiz Edmar de Oliveira Ciciliati, da Vara de Execuções Criminais de Tupã (SP), com uma hora de escutas telefônicas, feitas no início de abril pela Polícia Militar em celulares de presos, sugere que o PCC contou com a colaboração dos sem-terra para organizar um protesto em 18 de abril, em São Paulo. Participaram da manifestação mais de 4.000 pessoas, no que foi a maior concentração de parentes de condenados já vista no Brasil. O ato, que reivindicava mudanças no regime de visitas dos presídios, mostrou uma capacidade até então inédita de articulação dos detentos.

As gravações indicam que o contato com o MST teria começado por meio das relações pessoais de um dos presos com integrantes do movimento. "Aí veio a idéia de ter uma maior orientação no campo de batalha", diz um criminoso (veja trechos da escuta). As dicas dos sem-terra teriam sido transmitidas em "palestras" ministradas a pessoas em liberdade, que depois as repassaram para a facção criminosa. Um integrante do MST ofereceu ainda os serviços de uma gráfica. Nas ligações, há comentários sobre o fato de um dos líderes do PCC ter conhecido José Rainha Júnior, do MST, na prisão de Presidente Bernardes (SP), em 2003. "Mas ele é sujo", diz o condenado. "Não com ladrão (detentos comuns), mas com o comando (o PCC)." Já um tal Gaúcho, apontado como membro da cúpula do MST, seria "da hora".

Nos telefonemas gravados, parcialmente divulgados na semana passada pelos jornais O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde, discutem-se ainda detalhes práticos do protesto, como o preço do frete de ônibus para levar pessoas do interior ao ato na capital. Cada veículo custou 1.300 reais. Os presos também acertaram o valor de 10.000 camisetas – cada uma a 6,40 reais. O juiz corregedor dos presídios, Miguel Marques e Silva, afirma: "Tudo isso precisa ser apurado, mas a questão que fica é como o Estado, organizado e com mobilidade para defender a sociedade, não consegue combater um grupo de presos que faz esse tipo de coisa de dentro da cadeia".

Xico Graziano, ex-presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), não considera improvável que tenha sido estabelecida uma relação mais próxima entre o MST e o PCC. "Desde que passou a montar fábricas de sem-terra, o MST faz alianças urbanas de todo tipo", diz Graziano. "Eles precisavam arregimentar pessoas para a militância e, nesse processo, essa aproximação é razoável." Razoável e com precedentes, enfatize-se. Alianças entre bandos criminosos e organizações que se pretendem revolucionárias são comuns. O caso mais próximo e atual é a associação entre as Farc, a guerrilha esquerdista que inferniza a Colômbia, e os traficantes de cocaína daquele país. Um alimenta o outro, numa simbiose que tenta minar o poder do Estado.

Os diálogos do PCC

As escutas feitas pela polícia de São Paulo, no início de abril, flagraram conversas por celular entre prisioneiros, todos apontados como integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

OS PERSONAGENS

Orlando Mota Júnior, conhecido como Cala Calu, então preso na cidade de Iaras. Condenado a 48 anos de prisão.

Douglas Azevedo, o Da Paz, na ocasião, preso em Araraquara. Condenado a dezesseis anos.

Marcos Willians Camacho, vulgo Marcola ou Narigudo, atual cabeça do PCC. Condenado a 39 anos.

Denis e Luizinho, outros dois integrantes do grupo. Luizinho está solto.

AS CONVERSAS

O PCC PEDE AJUDA AO MST

Fala 1. Entre Orlando Mota Júnior, o Cala Calu, e Denis:

Cala Calu ­ (...) Eu acabei de conversar com os líderes do MST e eles vão dar umas instrução (sic) pra gente.


Fala 2. Entre Cala Calu e Douglas Azevedo, o Da Paz:

Da Paz ­ (...) O Narigudo (Marcola) conhece um dos líderes dele, que estava em Bernardes. É sujo, o Rainha (José Rainha).

Cala Calu ­ É sujo, né?

Da Paz ­ Sujo, sujo. Nem conversava (...) Mas um outro que assumiu e é líder-geral deles lá, que é o Alemão, e o nome dele é Gaúcho, ele já mandou as cartas para o irmão aqui (Marcola). Ele é um cara da hora, irmão, e está fechando com a gente de igual.

Fala 3. Mantêm-se os personagens:

Cala Calu ­ (...) Nós pode (sic) ficar tranqüilo que ele (o suposto integrante do MST) tem experiência com isso, ele vai conduzir a situação nossa, aí veio a idéia de (...) ter uma maior orientação no campo de batalha, entendeu? (...)

Da Paz ­ Pra você ver que, às vezes, os ventos estão a nosso favor, né, cara?

Cala Calu ­ Ele deixou à nossa disposição até mesmo a gráfica dele e as pessoas que faz (sic) faixa para ele pra todo tipo de manifestação.

Da Paz ­ Não tô acreditando no tamanho do negócio que estamos proporcionando. O bagulho é evolução, mesmo. O barato vai ser mil grau (sic).


CRIME MUITO ORGANIZADO

Fala 4. Da Paz faz comentários sobre a consulta feita ao Ministério da Justiça, por um advogado, sobre os ritos burocráticos para organizar um protesto:

Da Paz ­ Eles (do Ministério da Justiça) não podem estar diretamente com a gente, não vão mover nenhuma palha. A única coisa que podem fazer é mandar aviso para a prefeitura, para a PM, a Civil (polícia), o DSV (departamento de trânsito). Tem de avisar um monte de gente. (...) Tudo isso, como eu posso te falar, é um direito nosso. (...) Se vocês fizer (sic) desse jeito, podem ir que já era. (...)


PODER DE FOGO

Fala 5. Da cadeia, outros negócios também são tratados nas ligações gravadas, como a compra de uma metralhadora:

Luizinho ­ Tem um cara aqui que está vendendo uma matraca (metralhadora). (...) Fala que dá 3 000 reais, no máximo 3 500 reais, se estiver nova.

<< voltar

Justiça / Brasil, pág. 44 a 47

O raio-X da Justiça
Uma pesquisa inédita abre a caixa-preta da Justiça brasileira e dá um passo essencial para arrancá-la do século passado

Alexandre Oltramari

A Justiça no Piauí anda em petição de miséria. Em Campo Maior, a 90 quilômetros da capital, o fórum funciona numa construção planejada para abrigar o mercado municipal. A sala do juiz fica numa baia onde deveriam trabalhar feirantes da cidade. Em todo o estado, há mais de 40.000 processos emperrados, alguns dos quais estão há dez anos sem a realização de uma única audiência. No Piauí falta tudo, inclusive gente. Há juízes que quase nunca aparecem para trabalhar e funcionários que trabalham demais, como um da 6ª Vara Criminal em Teresina que, sozinho, cuida da tramitação de 1.600 processos. Falta, também, equilíbrio: juízes e funcionários do Tribunal de Justiça, a mais alta corte do estado, trabalham apenas meio turno, mas no interior, onde há menos processos, o expediente é integral. Na capital e no interior, falta até papel e há casos de certidões de nascimento sendo preenchidas em papel de embrulho. A única coisa que parece não faltar no Piauí é dinheiro para pagar salários que podem chegar a 40.000 reais aos meritíssimos que ocupam o olimpo da Justiça estadual.

O cenário desolador do Piauí não é propriamente uma surpresa, mas nunca se soube como interpretá-lo nem se pôde cotejá-lo com o de outros estados. Agora, pela primeira vez na história do Judiciário brasileiro, tudo isso tornou-se possível graças a um alentado estudo encomendado pelo Supremo Tribunal Federal ao qual VEJA teve acesso com exclusividade. Nesta semana, o presidente do STF, ministro Nelson Jobim, anunciará os principais resultados do levantamento num encontro jurídico, em Brasília. "Nosso objetivo é identificar os principais gargalos do Judiciário. Que o sistema é lento, já sabemos. Mas onde está congestionado? É assim porque falta pessoal? Ou é um problema de gestão mesmo?", questiona Jobim. A pesquisa durou um ano e colheu dados em todos os estados e no DF sobre a Justiça estadual, a federal e a trabalhista, que, juntas, respondem pela quase totalidade do Judiciário nacional. Pela pesquisa, explica-se por que a Justiça no Piauí é um escândalo nacional. Só dois dados: ela é a que menos investe em informática no país e a que mais gasta com pessoal – mais de 95% de seu orçamento anual. Apesar disso, o Piauí não tem a Justiça mais emperrada. Esse troféu cabe ao Ceará.

"Com esses dados, tudo vem à tona. Vamos saber exatamente onde falta estrutura e onde falta gestão", diz Jobim. Examinando-se os dados globais, conclui-se que o Brasil tem um bom número de juízes – são 7,7 juízes para cada 100.000 habitantes, mais que a média internacional – e uma quantidade até exagerada de servidores, mais que o dobro da média lá fora. Pois bem: se não faltam juízes nem funcionários, por que a Justiça brasileira leva em média doze anos para julgar um processo, enquanto nos Estados Unidos se demora apenas quatro meses? A pesquisa reforça o velho diagnóstico: nosso sistema processual é tão barroco, tão apinhado de recursos, idas e vindas, voltas e contornos que parece concebido para desviar-se o máximo possível de um desfecho. É um modelo inspirado no sistema italiano, mas a Itália, depois da II Guerra, modernizou seu sistema – e o Brasil segue com a cópia antiga. Um bom advogado pode usar até 120 recursos para protelar a sentença. "Só aqui temos recurso do recurso do recurso, o que transforma os processos em verdadeiras bibliotecas", diz o jurista Dalmo Dallari, de São Paulo. "É até natural que a gente precise de mais funcionários que os outros países."

Como costuma ocorrer com as instituições nacionais, a Justiça também é um reflexo da realidade brasileira – que é altamente desigual. Na Justiça estadual em Santa Catarina, cada um dos 5.887 funcionários tem um computador à sua disposição, conectado à internet. É um recorde nacional. A informatização começou há apenas dez anos, mas hoje todas as 110 comarcas estão integradas ao sistema do Tribunal de Justiça, em Florianópolis. Há um plano até para fazer "inspeção virtual", um sistema que permitirá a fiscalização de todas as comarcas a distância. "Com esse sistema, poderemos estabelecer em breve um índice de produtividade dos juízes e cobrá-los com base em dados objetivos", diz o desembargador Eládio Rocha, corregedor-geral da Justiça. Já no Ceará, onde a Justiça conseguiu a proeza de ser a mais congestionada do país, mais até do que a de São Paulo, a situação é lamentável. Há quinze anos, segundo reclama o presidente do Tribunal de Justiça em Fortaleza, Francisco da Rocha Victor, não se cria uma câmara nova, nem se contratam novos magistrados. No Ceará, a falta é de dinheiro mesmo: a Justiça estadual gasta anualmente pouco mais de 25 reais por habitante, a menor despesa do país. A média nacional passa de 60 reais por habitante.

Uma Justiça eficaz é artigo de primeira necessidade, mas boa estrutura física e fartura de mão-de-obra nem sempre significam população bem assistida. No Espírito Santo, tem-se a quarta melhor média de juízes por grupo de 100.000 habitantes, o que sugere uma Justiça mais funcional, que, em tese, deveria ser mais solicitada pela população. No entanto, a Justiça capixaba é a que menos recebe novas ações por ano. É um caso único no país, e as explicações podem ser múltiplas, mas uma delas salta aos olhos: a falta de credibilidade do Judiciário capixaba. "A Justiça daqui, contaminada pelo crime organizado, caiu no completo descrédito", afirma Carlos Henrique Bezerra Leite, professor de direitos humanos da Universidade Federal do Espírito Santo. "Já ouvi empresários dizendo que preferem fazer um mau acordo, perdendo dinheiro, a recorrer à Justiça estadual." No auge da crise, há dois anos, um juiz federal que investigava colegas de trabalho foi executado com três tiros na porta de uma academia. Cinco juízes chegaram a ser citados como suspeitos. No mês passado, um deles, Antônio Leopoldo Teixeira, foi preso como mandante do crime.

O mau funcionamento do Judiciário é devastador para a economia. Um estudo do pesquisador Armando Castellar Pinheiro, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), constatou que um sistema jurídico ineficiente reduz a taxa de crescimento de longo prazo em 25%. Isso significa que, se o Brasil tivesse uma Justiça eficiente, teria condições de crescer 0,8% a mais todo ano. O custo da ineficiência não pára aí: a produção nacional poderia aumentar 14%, o desemprego cairia quase 9,5% e o investimento saltaria 10,4%. Não é difícil entender por quê. Cabe à Justiça garantir o cumprimento de contratos, dado basilar para o funcionamento de qualquer economia de mercado. Se um banco acredita que terá dificuldade para fazer uma cobrança em caso de calote e não contará com uma Justiça ágil a seu lado, vai cobrar juros mais altos para compensar o risco e, em casos extremos, nem dará o empréstimo. Isso, claro, escasseia e encarece o crédito e derruba os investimentos. Num estudo recente, os economistas Persio Arida, Edmar Bacha e André Lara Resende, pais do Plano Real, narram didaticamente como a incerteza jurídica atrapalha a formação de um mercado de crédito de longo prazo no Brasil, uma coisa essencial para o crescimento econômico.

O trabalho mostra que os investidores aceitam comprar títulos brasileiros de longo prazo porque são em dólar – sem risco, portanto, de cair no pântano jurídico nacional. Por isso, os títulos negociados em real são sempre de curto prazo porque, nesse caso, qualquer desavença seria dirimida pelas cortes locais. Para compensar esse problema é que o Brasil criou mecanismos compulsórios de financiamento de longo prazo – como FAT e FGTS, que sustentam os fartos créditos do BNDES. A boa notícia é que, finalmente, parece haver um empenho sério para melhorar o sistema jurídico brasileiro. O Ministério da Justiça já enviou 23 sugestões ao Congresso Nacional numa tentativa de racionalizar o sistema processual do país, limando o excesso de recursos meramente protelatórios. A própria pesquisa do STF servirá de subsídio para o trabalho do Conselho Nacional de Justiça, cujos membros tomam posse no mês que vem e vão cumprir o célebre controle externo do Judiciário. E poderão corrigir excrescências como a que leva Mato Grosso do Sul a oferecer, mesmo gastando apenas 53 reais por atendimento, a melhor Defensoria Pública do país – enquanto o Piauí tem um serviço precário mas gasta 432 reais por atendimento. Algo está errado aí.

ONDE ESTÁ O GARGALO



<< voltar Páginas principais

Procuradoria-Geral | Colégio de Procuradores | Conselho Superior | Corregedoria-Geral
Procuradorias de Justiça | Coordenadoria de Recursos | Secretaria-Geral
Centros de Apoio | Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional | Promotorias de Justiça
1996 - 2003 © Ministério Público do Estado de Santa Catarina

15 maio, 2006 23:42  
Anonymous Anônimo said...

L U L A - O PROTAGONISTA DOS ATAQUES COVARDES ! ! !
Tudo isso só para abafar a descoberta de 38 milhões de Euros na conta bancária de LULA no exterior, roubados do povo Brasileiro!!!

A insanidade desse governo Lula é surpreendente por criar a maior confusão àqueles analistas das organizações criminosas, eu tenho insistido na mesma tecla em dizer que a culpa é dos próprios paulistas, por terem aceitado, criado e confiado no migrante lula em São Paulo...Deu no que deu! está destruindo o Brasil e vai terminar por São Paulo. E ainda tém paulista burro ' sem raciocínio' achando que a quadrilha petistas não esta por trás desse estado de sítio vivido nessas grandes cidades brasileiras. Quando digo que a culpa é dos paulistas, eu quero dizer que cabe à eles iniciarem uma reviravolta na história e desfazerem a desgraça que cometeram ao povo Brasileiro através do sr. Lula/pt, venderam o Lula e o pt aos brasileiros, Brasil à dentro (uma mercadoria corrupta), assim sujaram a história de nosso país, dilapidaram os cofres públicos e desonraram o nosso povo.
Como é que um Governo corrupto (Lula) com o Ministro corrupto (Márcio T. Bastos), irão parar as ações das quadrilhas por eles comandadas? Se a sustentação do chefão(LULA) no poder da Presidência da República do Brasil está na existência e nas ações do conjunto dessas quadrilhas; PT, FARC, MST, PCC?.

Diante de toda essa situação, este desgoverno Lula, ainda tem o apoio (Prá que?) de partidos como: PP, PL, PTB, PCB, PC do B, os dirigentes desses partidos precisam repensarem uma alternativa para deixarem de prejudicar o nosso País através de corrupto governo.

Conclamo aos Homens de Bem, Brasileiros de Preferência para reagirmos URGENTEMENTE, contra essas desordens protagonizadas por esse analfabeto social, moral, ético e político - Sr. CORRUPTO LULA.

JORNALBLOG.ZIP.NET

15 maio, 2006 23:45  
Blogger Kafé Roceiro said...

Gostaria que opinasse sobre nova forma de postar do Kafé. Um post só com os assuntos de sempre. O que acham? abração do Kafé. A sua dica é importante para o bom andamento do blog, caro amigo!

16 maio, 2006 13:11  
Blogger Peninha said...

Arcanjo.
Eu tenho votado nulo a muitos anos.
Meu último voto consciente foi em Covas.

17 maio, 2006 23:42  
Blogger luciano said...

Camarada Arcanjo:
Como diría um prefessor de algebra:
C Q D .

18 maio, 2006 22:48  

Postar um comentário

<< Home