19 dezembro 2005

Sucatear as Forças Armadas, quem são os responsáveis?

Gostaria de oferecer aos amigos leitores texto mais ameno. Talvez A Ceia dos Cardeais, obra teatral de Júlio Dantas, que recomendo a leitura.
Entretanto, este blog é um diário de anotações políticas e da situação política em que vivemos, a cada dia.
Por este motivo, hoje tratarei de outra "ceia". O almoço do Presidente da República com os militares (oficiais generais das três Forças Armadas), ocorrido no dia 15-12-2005.

Algumas impressões dos militares sobre o almoço. Bem entendido, dos militares aposentados que podem falar, porque os militares da ativa não podem se manifestar publicamente, mas que espelham o ânimo e a realidade do meio:
"Temos a impressão de que o pessoal do atual governo tem pudor de se reunir com os militares, de vez que nenhuma nota sobre o evento foi veiculada pelos órgãos de divulgação do Planalto, talvez procurando esconder a vergonha de um governo fraco perante homens fortes por formação".

"Todo chefe militar sabe que é perigoso sinal de fraqueza quando o comandante reúne seus subordinados para apresentar justificativas sobre sua própria incompetência e inoperância".
"Assistiu-se a um desfilar de justificativas, inclusive a defesa do Ministro da Defesa".

"Em reuniões militares não se batem palmas. Quem as recebe permite que, no amanhã, seja vaiado. No almoço essas duas normas foram feridas, perigosamente".

Mais do mesmo.
Depois que os chefes de cada Força Armada compareceram no Congresso Nacional, e indagados pelos congressistas (deputados e senadores) responderam com a verdade, sobre o estado lamentável de sucateamento das Forças Armadas, O sr. Lula, Presidente da República, foi para a imprensa e fez publicar:

"Não acredito que um brasileiro sinta orgulho, ao aparecer um comandante para dizer que 60% dos navios estão deteriorados, ou aparecer alguém dizendo que metade dos aviões estão avariados, ou dizer que os nossos tanques não têm mais manutenção, ou que não pode contratar 100 mil recrutas porque não tem dinheiro para alimentar essa meninada. Aí, já não é mais dificuldade econômica, aí é falta de definição de prioridades e, isso, nós temos que corrigir urgentemente".

O que os militares pensam disso:
"-Ele gostaria que os Comandantes Militares mentissem para o seu povo, como faz o seu governo, que além de mentir apóia corruptos e corruptores?"
"-A cada ano, neste governo incapaz, os militares são mais humilhados. Já fomos chamados de bando e agora, tem a desfaçatez de querer alcunhá-los de INCAPAZES".

Já existiu um governo que trilhou este mesmo caminho traçado pela esquerda brasileira há alguns anos atrás. A tentativa de enxovalhar as Forças Armadas nunca dará certo. A esquerda não confessa, mas toda a esquerda por princípio ideológico, odeia os militares porque, eles cultuam uma virtude, que a esquerda detesta e repele, a DISCIPLINA.

Na bandeira nacional está escrito "Ordem e Progresso", não sei como seguir esta recomendação sob um governo de esquerda. A esquerda tem por prioridade primeira a desmoralização da ordem e trabalha impedindo a nação brasileira de progredir. A esquerda tem como cerne de seu discurso libertário a ruptura da ordem e da disciplina. Portanto, incompatível com as inscrições de nossa bandeira. A esquerda, muito breve tentará mudar nossa bandeira.
Aos sr. militares e civis amantes da ordem e da disciplina, deixo meus sinceros votos de um Feliz 2006.
A NAÇÃO FICARÁ LIVRE DA MEDIOCRIDADE EM 2006!
Share |

25 Comentários:

Anonymous Grenadier said...

A bandeira do pt e da esquerda em geral, como está muito bem demonstrado no post, é a bandalheira.

19 dezembro, 2005 13:47  
Blogger Nat said...

Camarada Arcanjo,

Até do "Progresso" da bandeira elles se apoderaram, pois os adeptos da esquerda se auto-proclamam "progressistas". Até hoje não entendi que tipo de progresso eles pregram...

E a ordem??? Deve ser aquela de Gramsci... esta não serve pra mim (risos)

Grande abraço!

19 dezembro, 2005 21:11  
Blogger Marcello said...

Para a esquerda não interessa ter instituições fortes. Quanto maior a bagunça melhor para seus objetivos. Dai que o sucateamento das Forças Armadas é só parte do plano. Lembrar que começou no governo FHC. O atual apenas dá sequência.

20 dezembro, 2005 03:34  
Anonymous Sérpico said...

AMIGO ARCANJO, BOAS FESTAS E ATÉ O ANO QUE VEM. A LUTA CONTINUA!

20 dezembro, 2005 09:35  
Anonymous Gusta said...

Perfeito!
Sensacional!
Brilhante!

20 dezembro, 2005 14:05  
Anonymous Lucas said...

Aqui o buraco é na boca do canhão e a nossa bengala é um urutu. Mexer com fogo é perigoso. É coisa para profissional. Escolham bem o próximo Ministro da Defesa, antes que seja tarde demais...


Aqui nos quartéis a coisa é diferente. O empresário mineiro não é mais bem-vindo. Já devia ter sido exonerado do comando das Forças Armadas do Brasil. Mais um Zé que deve se afastar do governo...

acontinencia- Cel Erildo

20 dezembro, 2005 18:42  
Blogger Moderado, o idiota said...

"companheiro" Camarada:

Boa noite.

Eles estão destruindo a nossa soberania. Por quais interesses, só nos cabe pensar.

O hiato do poder brasileiro já se manifesta em tantas expressões e, agora, se mostra descabido e inaceitável no poder militar do maior país da América Latina.

Já enderecei o tema, também, bem como o fez o Congresso em Foco. Fico feliz de te ver fazendo o mesmo.

Um grande abraço e parabéns pelo post,

20 dezembro, 2005 18:44  
Blogger S0MBR4 said...

Arcanjo e demais comentáristas,

Vcs não acham que o processo de sucateamento das forças armadas implicou no seu enfraquecimento intelectual?

Nas últimas 2 décadas, qual foi o atrativo para buscar talentos e pessoas capacitadas? Nenhum...

As forças armadas vivem seus últimos dias de poder intelectual, ordem e liderança! O processo de sucateamento, além de desmoralizá-las enquanto forças armadas, as atingiu de forma cruel na formação de novas lideranças.

O nível e o interesse pelas forças armadas caiu dastricamente e hoje seria mais fácil surgir um Chavez da vida que uma revolução organizada e progressista.

Se mesmo durante a ditadura os militares não foram capazes de gerir o país corretamente (vide a existência de Delfim Neto), imaginem num ponto futuro pós-sucateamento?

É meu ponto de vista: chegou a hora de repensar esse conceito! Mais alguns anos e as forças serão em sua totalidade mediocres sob vários aspectos!

Nesse aspecto os governos de esquerda enrustida pós-revolução tiveram sucesso em sua estratégia: acabaram com a única instituição capaz de interferir de forma prática e imediata.

Hoje em dia, além da incapacidade bélica, seria difícil sustentar um regime pela falta de quadros.

Sei que alguns vão me odiar por essas palavras... mas francamente, é o que eu penso a respeito!

20 dezembro, 2005 21:47  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Não caro amigo Sombra,
A liderança dentro das forças armadas tem outro nome: chefe.

A diferença começa na motivação, que é fundamentada pela disciplina e não pelo carisma pessoal, que um chefe pode ter como um atributo a mais. O conceito de liderança dentro da caserna é diferente das lideranças civis, políticas e "revolucionárias". Estas necessitam de paixão, e por vezes de mentira.

A chefia militar dispensa a paixão, porque independe de opinião do "liderado", e precisa da verdade, e da confiança.
São coisas diferentes, e virtudes que os políticos dispensam.
Mas eu entendo o amigo, de fato, o processo de sudateamento é longo, iniciou este ciclo no governo Sarney. Salários achatados cada vez mais, paulatinamente, devem ter provocado um desinteresse pela vida militar. Mas não se engane, os oficiais das Forças Armadas são gente muito bem preparada.

Entretanto, esta não foi a primeira vez que isto aconteceu. Na história do nosso Brasil, sempre que os políticos experimentam uma fase de tranquilidade aviltam as condições de trabalho e salário dos militares. Sempre foi assim. Na história recente antes da 2ª grande guerra os militares experimentaram uma pindaíba de fazer bicho. Do mesmo modo, antes de 64 a miséria estava sentando no sofá da sala das casas dos militares.

Sempre foi assim, o grande problema é a falta de seriedade dos políticos com as instituições, todas elas. As intervenções militares na política, neste país sempre foi motivada pela baixa qualidade dos políticos e pela irresponsabilidade deles para com as instituiçoes nacionais, judiciário, MP, Forças Armadas, STF, Câmara, Senado, TCU etc

E não me venha dizer cínicamente, que os políticos são o espelho do povo brasileiro, porque eu conheço muita gente e não conheço, no meio em que eu freqüento, ninguém tão canalha quanto o menos canalha dentre os políticos deste Brasil.

Cabe lembrar que os militares assim como a grande massa do POVO BRASILEIRO é democrata por princípio. O problema é a classe política, pode observar.

Que me corrijam, quem discorde do meu ponto de vista. Estou aberto a até mudar de opinião.

21 dezembro, 2005 01:35  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Ah! esqueci de comentar sobre o Delfim Neto. Podemos citar um outro exemplo. Sarney.
Houve um tempo, logo depois da tomada do poder pelos militeres que por vontade dos militares, este chamaram os civis a participar do poder. E sempre existiu mais civis no poder do que os militares. Uma infinidade deles.
Lamentávelmente, alguns como estes dois. Um agora lambendo botas do Lula, dando conselhos para a área econômica, e outro apoiando o governo Lula por razões inconfessáveis, junto com o Renam Calheiros, conseguiram até 3 ministérios neste desgoverno.

Niguém está livre de lidar com gente desta espécie. Os militares não são Deuses, são cidadãos brasileiros, assim como nós, que amam a paz e a ordem, estarrecidos com a irresponsabilidade, a hipocrisia, a desfaçatez e o carater, ou falta dele, de toda a classe política na gestão da coisa pública. Apenas isso.

21 dezembro, 2005 01:51  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Outra coisa: Não odeio não.
:)
Gosto da troca de opiniões.

21 dezembro, 2005 01:52  
Blogger Marcello said...

A perda de qualidade humana, nas Forças Armadas, só não foi maior porque o Brasil pouco cresceu neste período. Dai que muitos bons quadros foram mantidos e até ingresaram nas FF.AA, mesmo com os baixos salários, pois as alternativas, na iniciativa privada, foram muito escassas.
Eu acho graça de caras como o Delfin, que tiveram todas as chances de fazer algo de bom quando tinham o poder e nada fizeram ou só fizeram besteiras. E agora ficam querendo dar aula de "como fazer". Maílson da Nobrega é outro.

21 dezembro, 2005 05:27  
Blogger S0MBR4 said...

Arcanjo!

Podemos citar uma dúzia de pessoas que fizeram m... durante o regime!

O que eu realmente questiono é essa questão da chefia a médio prazo.

As forças atraem pessoas de classes mais desfavorecidas, aliando isso aos problemas educacionais do país e o processo de penura imposto as FOrças, temos um formação debilitada...

Por mais liderança e carisma que os antigos líderes ainda tenham, o resultado de longo prazo é terrivel!

Vide os desvios de armas, cooptação de recrutas pelo trafico, etc...

A penura afeta o moral e por consequencia a formação. Desmotivação é algo difícil de gerir!

É mais um tiro no pé... com esses regimes de esquerda autoritária a nossa volta, é um risco irresponsável!

21 dezembro, 2005 10:08  
Anonymous Grenadier said...

Alguém já disse que os régulos no Brasil surgiram com a república... Bom seria se os militares, depois da desmoralização total das instituições a que chegamos neste ano, se engajassem na volta a uma monarquia benfazeja e moderna como a britânica ou a espanhola. Sai muito mais em conta, até!

21 dezembro, 2005 14:02  
Blogger S0MBR4 said...

Grenadier... eu pessoalmente conheço o que sobrou da família real...

Acredite: não vale a pena tb!

Alias monarquia não existe... sustentaríamos um rei, sua família e corte e um parlamento...

É trocar 6 por meia dúzia...

21 dezembro, 2005 19:29  
Anonymous Aluizio Amorim said...

Camarada Arcanjo. Se vc perceber bem este governo não é de esquerda, se levarmos em consideração o conceito consagrado na filosofia política. Se o governo do PT pratica arrocho fiscal e uma política econômica monetarista capaz de corar os gurus da Escola de Chicago, não é de esquerda. Ao mesmo tempo, distribui bolsa família à patuléia, fato que se configura num puro paternalismo. Então, o governo do PT é neopopulista. E isto é uma praga, principalmente num país onde a classe média foi aniquilada, fazendo crescer a horda de pobres e miseráveis que já faz a maioria do eleitorado. Vai daí que Lula ainda não está morto!
A propósito, postei dia desses no meu blog http://oquepensaluizio.zip.net,artigo de minha autoria em que analiso essa nova correlação de forças. O nome do artigo é "Um novo contexto político". Em outro estabeleço um paralelo entre o Brasil do PT e a bolívia do cocaleiro Evo Morales.
Abraço do
Aluízio Amorim
http://oquepensaaluizio.zip.net

22 dezembro, 2005 05:17  
Anonymous Grenadier said...

Prezado Sombra, permita-me discordar. Hans-Hermann Hoppe, filósofo alemão que dá aula nos EUA, mostra em "Democracy - The God That Failed: The Economics and Politics of Monarchy, Democracy, and Natural Order" que o rei não assalta o Estado, como os políticos, pois estaria furtando a si mesmo. Mais a respeito no sítio do Mises Institute.
Prezado Aluízio Amorim, trata-se de um populismo de esquerda. Basta observar o à vontade com que "movimentos sociais" como o MonSTro atuam e são subsidiados pelo Estado (desde a administração anterior) e se verá que a sinistra está com tudo. Ela já percebeu que não deve afugentar de todo os capitalistas, e estes ingenuamente acham que poderão fazer seus negócios sem atentar para o regime político e o grau de liberdade.

22 dezembro, 2005 11:32  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Granadier,
Você tocou num ponto muito especial, que esta oposição não percebe e o capitalistas não acreditam, mas é importantíssimo.
Esses dois pensam, que botam o Diabo para dançar, quando perceberem serão eles que estarão dançando. E nós!

22 dezembro, 2005 14:35  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Aluisio,
Vou lá.

22 dezembro, 2005 14:37  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Sombra disse:

"É mais um tiro no pé... com esses regimes de esquerda autoritária a nossa volta, é um risco irresponsável!"

Caro amigo, todos, que não deveriam ser, são irresponsáveis neste país. Até aqui as Forças Armadas são instituições que se mantém responsáveis e apesar de aviltadas, primam por respeitar a constituição. Postura que outras instituições no Executivo, Legislativo e Judiciário não respeitam!.

Você sabe quantos Senadores da República inquiriram os chefes militares no senado?
No início compareceram 6, logo depois 3 sairam e não voltaram. Os 3 que ficaram sugeriram adiar a sessão para fazê-lo no "dia do marinheiro". Os chefes militares não aceitaram e a sessão durou 6 horas.
Você entendeu que os senadores não tem compromisso com a pátria, com as instituições nacionais.

Isto é um fato, não uma opinião.

Risco? Risco maior é o MST, o PT (partido do governo) deputados e senadores impunes. Juízes do supremo, ministro da justiça e MP, se comportando como o fazem, na mais perfeita promiscuidade moral, ética e funcional.
Este é o RISCO. As conseqüências, talvez até sangrentas, virão depois.

Eu não estou torcendo por elas, só estou lembrando da possibilidade.

22 dezembro, 2005 15:05  
Blogger Camarada Arcanjo said...

Aluisio Amorim,
Fui lá e comentei lá mesmo. Excelente seu texto.

22 dezembro, 2005 16:24  
Anonymous Grenadier said...

Camarada, estudei no Colégio Militar em priscas eras, e desde então estou afastado do ambiente da caserna. Sei que os soldos estão baixos e são pouco atraentes, mas já há alguns anos aconteceu algo que reputo extremamente positivo: a inclusão das mulheres no oficialato, com seu senso de dever tantas vezes mais apurado que o dos homens. O Brasil já demonstrou que tem instituições cuja solidez nos surpreende, e deverá retomar seu rumo certo uma vez virada a página imunda do petismo. Num registro mais pessoal, se me for permitido, informo que estou em "processo de conversão" para o monarquismo.

22 dezembro, 2005 17:19  
Anonymous Lucas said...

o povo não sai às ruas, espontaneamente. Há que existir alguém, com autoridade moral para tanto, que se disponha a arengar às massas, explicar-lhes a gravidade do que está ocorrendo e conclamá-las a demonstrar a sua insatisfação. Se mantida a atual apatia, a crise será superada com a cassação de Roberto Jefferson, José Dirceu e mais meia dúzia de parlamentares. "Falta alguém em Nuremberg", diria David Nasser. Na verdade, falta mais gente do que se imagina.
João Mellão

22 dezembro, 2005 23:04  
Blogger S0MBR4 said...

2 coisas!

Não concordo com essa história que a monarquia "não rouba o que é seu"... ela não tem absolutamente nada e nem teria legitimidade para ter posse de algo... assim, intituí-la novamente seria um grande assalto!
Vou além... riquezas das monarquias foram construidas a partir de exploração... e além de ilegítimas são imorais!

Quanto aos riscos internos que o Arcanjo mencionou, eu concordo parcialmente! Bem ou mal MST e Cia são controlados por fazendeiros que usam o mesmo expediente para defesa de seus interessses! Atualmente o MST é mais confete que potencial bélico! Ao contrário do que ocorre numa Venezuela por exemplo, qu está se armando velozmente sob o comando de megalomaniaco...

Daqui a pouco o sujeito resolve fazer a revolução nas fronteiras e não teremos como reagir! Esperem o apedeuta não ser reeleito para ver o barulho que esse Chavez vai armar!

29 dezembro, 2005 09:36  
Anonymous Anônimo said...

Um comentário não direto, mas correlato ao das forças armadas:

pois é, graças a uma ingenuidade bovina da sociedade, uma tolerância suspeita da mídia, um olhar míope (e estranhamente benevolente) das autoridades, conseguimos ter

UMA INFILTRAÇÃO SEM PRECEDENTES DO CRIME ORGANIZADO NAS 3 ESFERAS DO ESTADO.

e depois a ABIN quer vigiar terroristas...
os piores terroristas são os funcionários e políticos ligados à corrupção e ao crime organizado.

Santa ingenuidade, Batman!
Esse novo diretor da Abin parece q cheira cola... ou
vai procura problemas onde NÃO TEM para NÃO ACHAR NADA.

hoje, qdo se vota uma lei, vc não sabe A QUEM ELA SERVE. pense nisso!

a coisa tá ficando de tal monta q se gritar "pega ladrão" no congresso todo mundo olha...

E NÓS DE 4... E O NABO VINDO...

Nóiz é povo, maiz num é abestado!
noiz@tantofaz.zzn.com

04 janeiro, 2006 19:56  

Postar um comentário

<< Home